Postado em abr 6, 2013 em Blog Livre Mente, Dependência Química | 0 comentários

Crack

Crak, por Lucas Tonelli

O consumo de crack

no Brasil vem se alastrando com  uma velocidade enorme. Isso é uma constatação que todos nós podemos fazer sem grandes esforços. Há alguns anos só víamos “crackolândias” em metrópolis. Hoje em dia, as “bocas de fumo” estão em praticamente todas as cidades do país.

Uma constatação mais assustadora é a idade de início do consumo. Nossas crianças estão sendo apresentadas às drogas cada vez mais cedo (não é raro vermos crianças de 9 ou 10 anos já necessitando ser internadas para tratamento da drogadicção).

Se considerarmos a definição de EPIDEMIA:

“Uma epidemia se caracteriza pela incidência, em curto período de tempo, de grande número de casos de uma doença”; considerando que a drogadicção é uma doença e, ainda, os dados mencionados nos parágrafos anteriores, podemos afirmar sim: o abuso de crack no Brasil é uma epidemia. Sendo assim, é um caso de saúde pública e merece a atenção e preocupação de toda a sociedade. E a melhor forma de tratamento é a prevenção.

Se medidas sérias não forem tomadas para coibir o uso abusivo de drogas psicoativas (e o crack é uma das mais danosas de todas, provocando uma destruição rápida de áreas nobres do cérebro), correremos o grande risco de vermos uma grande parcela da nossa juventude totalmente perdida.